A PIECE OF SKY – DRII WINTER

Cartaz do filme A PIECE OF SKY – DRII WINTER

Opinião

Assistido na 72ª Berlinale _2022

Um vilarejo nos Alpes suíços onde todo mundo se conhece, são as estações marcadas que determinam a rotina dos moradores. Anna tem uma filha de um relacionamento anterior, trabalha no restaurante da vila e namora Marco, um rapaz que veio de outra região.

Apesar de todos duvidarem que daria certo, Anna e Marco se casam; apesar de ser um casal de poucas palavras, são afetivos. Mas uma tensão se constrói aos poucos, quebrando a expectativa de a vida pacata e previsível se manter dali em diante. É como se ele não conseguisse segurar seus impulsos, como se tivesse perdido o filtro que não nos deixa avançar o limite da convivência saudável e do respeito. Por causa de uma doença, Marco apresenta mudança na sua personalidade, o que vai impactar, fortemente, no relacionamento.

A PIECE OF SKY é o ponto de vista de Anna em relação ao que está acontecendo com seu marido. É delicado, mesmo na tensão, e tem a natureza como personagem do filme. “Eu quis contar uma história que foge daquela noção da perfeição dos Alpes suíços”, explica o diretor Michael Koch, em entrevista coletiva.  “Ali as pessoas trabalham muito, não há pôr-do-sol, os vales são estreitos, as montanhas são íngremes. Não é uma vida fácil”, completa. As estações do ano continuam marcando a vida de Anna e seguirão seu fluxo até o final, conduzindo os personagens nesse movimento que parece natural. Aliás, naturalidade é algo presente desse elenco de atores não-profissionais – agricultores das montanhas mesmo, que fazem parte do garimpo que o diretor Michael Koch encampou pra encontrar as pessoas certas para caracterizar o trabalhador comum, o agricultor da montanha, as pessoas acostumadas com aquele clima e paisagem, para que pudessem formar uma narrativa genuína. Conseguem. É, de fato, uma história tocante.

Comentários