UM LUGAR CHAMADO NOTTING HILL – Notting Hill

Cartaz do filme UM LUGAR CHAMADO NOTTING HILL – Notting Hill

Opinião

Mesmo sendo uma variação do mesmo tema (e como ele se repete, na realidade e na ficção), a comédia romântica pode ser muito boa. Apesar de ter muita porcaria e apelação, sempre volto naquelas que são simples, originais, divertidas e realmente românticas. Fazem jus ao gênero.

Um Lugar Chamado Notting Hill traz tudo isso junto e ainda a graça e a boa liga entre os atores. Julia Roberts (também em Onze Homens e Um Segredo, Doze Homens e Outro Segredo, Larry Crowne – O Amor Está de Volta, Comer, Rezar, Amar, Closer – Perto Demais), a eterna “linda mulher”, faz o papel dela mesma: ela é Anna Scott, uma atriz famosa e rica, cercada pelo glamour e pelos jornalistas, sempre loucos atrás de uma fofoca. O ator inglês Hugh Grant é William Thacker, um sujeito comum que mora no charmoso bairro de Notting Hill em Londres, é dono de uma livraria, vive rodeado por seus amigos e familiares e dá um duro danado para pagar as contas no fim do mês.

Parece lugar comum, mas não é. Tem bom texto, sutilezas e um humor de fato agradável, gostoso de acompanhar. Sem aquela coisa da apelação do sexo que em algumas produções, parece ser a salvação da lavoura. Veja bem acompanhado, porque vale a pena. Não é mesmo para ser muito elaborado, senão pertenceria à outra categoria. Mas tem uma roteiro amarrado e um texto inteligente. E uma história muito bacana pra contar!

 

Comentários