UM HOMEM, UMA MULHER – Un Homme et une Femme

Cartaz do filme UM HOMEM, UMA MULHER – Un Homme et une Femme

Opinião

O romance entre Anne Gauthier e Jean-Louis Duroc é daqueles que seria quase comum se não fosse a linda trilha sonora (com música brasileira inclusive, cantada em francês, dos compositores Baden Powell e Vinicius de Moraes) e a belíssima fotografia. É claro que o casal ajuda. Atuação competente e charmosa, aliada à sensível direção de Claude Lelouch, fazem de Um Homem, Uma Mulher um filme bonito, com enquadramentos detalhistas e delicados (que deixam a belíssima Anouk Aimée ainda mais bonita).

Usando ora branco e preto, ora cor, o filme conta como a diretora de cinema e o piloto de carros de corrida se conhecem e se apaixonam. Acho as cenas da praia de Deauville indiscritíveis, uma pintura, principalmente quando combinadas com a trilha sonora. Considerando o filme uma produção de mais de 40 anos atrás, todos os detalhes são muito bem cuidados. É certo que algumas sequências são um pouco longas e as lembranças do passado ocupam um tempo longo demais. Mas é o ritmo do filme, inclusive do envolvimento dos dois e do distânciamento do passado. Mas consegue transmitir intensidade e graça, além de o casal ter uma liga muito boa (tanto que, 20 anos depois, o diretor Lelouch filma a sequência desta história). Premiadíssimo, é uma boa pedida para quem gosta de filme mais antigo, de sequências de direção poética e de boa fotografia.

 

Vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1967, Palma de Ouro em Cannes em 1966

Comentários