SATURNO EM OPOSIÇÃO – Saturno Contro

Cartaz do filme SATURNO EM OPOSIÇÃO – Saturno Contro

Opinião

Do mesmo diretor dos ótimos O Primeiro que Disse e A Janela da Frente, o diretor Frezan Ozpetek acerta de novo com Saturno em Oposição. Talvez saiba tratar do tema das diferenças, pela sua própria origem turca em terras italianas. Talvez seja pela capacidade de tratar do lugar comum, um grupo de amigos e seus conflitos, como pessoas normais, com virtudes e fraquesas como todos nós. Aliás, acho que é essa maneira sincera de contar o drama humano de cada um dos personagens que falou mais alto. Cada um vive o seu problema, seja ele o casamento, a droga, a solidão, a falta de objetivo, mas todos sentem em conjunto a perda de um deles e aqui entra a amizade na vivência da tristeza.

Num grupo de amigos bastante heterogêneo, a doença de um deles dá ao diretor a oportunidade de retratar cenas singelas e muito profundas. A vigília que é feita no hospital chega a emocionar. O não abandono, apesar da não concordância com a atitude, com a postura, é prova de amor. Juntando gays, casais hetero (um deles Pierfrancesco Favino, também em Que Mais Posso Querer), uma moça drograda e desiludida (que tem no seu mapa astral saturno em oposição – por isso o título) saí do cinema com a certeza de que a vida continua para cada um deles, com suporte, sem julgamento. A essa altura do campeonato, além de uma bela história de gente comum, vejo como um grande tributo à amizade, apesar dos pesares da vida, que não são poucos.

 

Comentários