PRIMAVERA EM CASABLANCA – Razzia

Cartaz do filme PRIMAVERA EM CASABLANCA – Razzia

Opinião

Os filmes mosaicos são interessantes exatamente por isso: reúnem peças aparentemente desconexas, vidas distintas, medos comuns e aproxima-os de uma forma inusitada. Um dá sentido a outro.

Em Primavera em Casablanca é o seguinte: um professor, adorado pelas crianças, é expulso da escola porque precisa se enquadrar nas regras de ensino imposta pelo islã; foge e deixa para trás seu grande amor e seu querido enteado. Anos mais tarde, esse garoto é um adulto que trabalha no restaurante de um homem bom, que sofre preconceito por ser judeu. Essa mulher amada aconselhar outra mais jovem, que luta por ser amada genuinamente e pela igualdade de gênero; uma adolescente rica hostiliza sua avó, sua origem, está perdida na solidão da passagem para a vida adulta; um jovem músico gay sonha em cantar como Fred Mercury e sofre preconceito do pai numa sociedade homofóbica.

A bela atriz Maryam Touzani esteve no Brasil para lançar o filme no Festival Varilux e falou sobre a importância de representar uma mulher que passa pelas mesmas dificuldades que ela própria sente no Marrocos. “As mulheres do filme tentam sobreviver, viver uma vida normal. É muito importante trazer isso para o cinema, porque não houve nenhum progresso”, disse ela. Já o diretor Nabil Ayouch, quando perguntado sobre a repercussão do filme no Marrocos, já que toca em várias feridas sociais, ele diz: “No Marrocos há três tipos de gente: as que querem ver, as que querem entender e as que querem esconder a cabeça na areia. Razzia foi um choque e muita gente se perguntou por que mostrar essas questões se podemos falar da economia do país, fazer um filme propaganda”, diz ele. “Mas quem me interessa é falar da juventude perdida e desorientada, das minorias sexuais e religiosas, das mulheres que queremos esconder, que foram em massa ver o filme. Elas se viram na tela, foram representadas, e isso é muito bonito de ver”.

De fato, o retrato da intolerância que está por todo canto. Primavera em Casablanca faz homenagem ao filme Casablanca e à sua canção As Time Goes By. Vai dando um tom de sonho, de cinema, de ficção e realidade que se mesclam. Mas, na real mesmo, toda essa beleza e romance não passa de ilusão.

Trailers

Comentários