O CICLO DA VIDA – Fei Yue Lao Yuan

Cartaz do filme O CICLO DA VIDA – Fei Yue Lao Yuan

Opinião

Filmes assim são inspiradores. Quando tudo parece perdido, um único – e simples – gesto reacende a esperança. E me pega desprevenida, me deixando sem graça com a minha repentina desesperança. Quem tem tempo, tem sempre uma maneira de seguir em frente. Os protagonistas de O Ciclo da Vida não têm esse trunfo, mas encontram na arte, na amizade e na solidariedade uma forma de seguir vivendo. Nem que seja para viver o último desejo.

Filmes assim emocionam, pelo poder genuíno que tem a experiência de vida. Numa casa de repouso, seus hóspedes são todos idosos, uns mais outros menos, alguns doentes, outros ainda não, alguns ranzinzas e outros bem dispostos, alegres e criativos. Reinventam a terceira idade, superam as tristezas do abandono familiar, resgatam a esperança do outro com o viés poderoso da amizade e fazem arte – que sempre é um caminho para a reconciliação com o tempo e consigo mesmo. Montam uma apresentação de teatro, basicamente uma pantomima, e estão determinados a inscrever-se num concurso de talentos.

Há outros bons filmes também inspiradores sobre essa terceira fase da vida. Vou montar uma lista de recomendações aqui no blog, porque todos chegaremos lá ou já enfrentamos essa realidade com pessoas queridas. O Ciclo da Vida tem um road movie embutido, por sinal bem simbólico: os velhinhos fogem para o concurso num ônibus, libertam-se dos medos alheios e das convenções, como tem que acontecer em cada um dos outros ciclos da vida. A diferença é que este ciclo é aquele vivido com mais maturidade, experiência, porém menos tempo. Por isso cada minuto é valorizado ao extremo. Não há tempo a perder. Mas ainda há tempo pra viver.

 

 

Comentários