ENQUANTO SOMOS JOVENS – While We’re Young

Cartaz do filme ENQUANTO SOMOS JOVENS – While We’re Young

Opinião

Não tem o mesmo tom de cinema independente e autoral de Frances Ha, o filme anterior de Noah Baumbach. Deve ser por causa dos estrelados Ben Stiller (também em A Vida Secreta de Walter Mitty) e Naomi Watts (também em O Impossível). Mas também não tem o clima de uma comédia romântica americana padrão – aquela coisa déjà vu. O que é uma grande vantagem já de cara. E o que é mais bacana: Enquanto Somos Jovens conversa – intimamente – com quem viveu a juventude nos anos 80 e que hoje está na casa dos 40 e tantos. Eu, por exemplo. Dei boas risadas!

Apesar do tema batido do casal descolado que não tem filhos, que sente que o tempo passou, que filhos ocupam muito espaço e tiram a liberdade, a sacada do diretor e roteirista Noah Baumbach foi inverter os conteúdos. Cornelia e Josh são o típico casal antenado em tecnologia, que chegou numa idade em que questiona sua vida profissional e que já tem que lidar com as frustrações criadas com as decisões tomadas no decorrer da vida. Jamie e Darby (Adam Driver, também em Inside Llewys Davis; e Amanda Seyfried, também em Os Miseráveis) são jovens que curtem justamente os gadgets dos anos 80, como o disco de vinil e prezam um ritmo mais lento de vida. Quando os casais se encontram, acontece um tipo de espelhamento: Jamie e Darby ficam fascinados com a leveza dos jovens, repaginam seu comportamento, se afastam dos antigos amigos e a vida toma novos rumos.

Inteligente e divertido, Enquanto Somos Jovens fala desse momento em que percebe-se que o tempo passou, que já não somos o que éramos (ainda bem!) e que o bom (e a única solução, porque o tempo não para, nem volta) é incorporar os conhecimentos e experiência e se reinventar. Isso! O filme é sobre como se reinventar, sem querer ser aquilo que não é possível ser. E o mais legal: perceber que muitas transformações são possíveis, há muito o que fazer e que ainda há muita vida pela frente.

 

 

Comentários