CONFISSÕES DE ADOLESCENTE

Cartaz do filme CONFISSÕES DE ADOLESCENTE

Opinião

Adolescente é igual em qualquer lugar do mundo, só mudam os detalhes de cada época. Quando Daniel Filho comprou os direitos para adaptar Confissões de Adolescente para a telona, ela ainda era uma série de televisão nos anos 90. Foi adaptada diversas vezes no teatro e, definitivamente, ele sabia o que estava fazendo. Com esse rico repertório nas mãos, capaz de criar uma identidade com o espectador com a maior facilidade (afinal, todos nós passamos por essa fase), o diretor sabia que era uma questão de tempo. E depois de 20 anos, a série que contou com a participação de Maria Mariana (autora do livro que deu origem a tudo) e de Deborah Secco, agora tem um elenco no cinema que cria uma empatia imediata. As quatro irmãs adolescentes, entre 13 e 19 anos, falam com o público com o coração, com muita graça e sensibilidade.

Sob a tutela enlouquecida do pai Paulo, na pele do sempre ótimo Cássio Gabus Mendes, as irmãs passam por situações típicas dessa fase de descobertas e incertezas, mudanças e transgressões. A busca pela independência, o namoro, a procura pela aceitação entre as amigas, a descoberta da sexualidade, o bullying são vividos por quatro jovens atrizes (Sophia Abrahão, Bella Camero, Malu Rodrigues e Clara Tiezzi), que ganham de presente a participação do antigo elenco – um charme a mais para a produção, diga-se de passagem.

Confissões de Adolescente, que tem uma deliciosa trilha sonora e estreia dia 10 de janeiro, entra na prateleira dos filmes bacanas sobre essa fase tão enigmática e mágica da vida. Recomendo, nesta ordem: As Melhores Coisas do Mundo, À Deriva, Antes que o Mundo Acabe, Desenrola, também brasileiros (veja lista com mais filmes). Todos para ver em família sim, principalmente se sua turma em casa estiver passando por algo parecido. Em algum momento, deve estar. Adolescente só muda de endereço.

 

 

 

 

Comentários