BRAVURA INDÔMITA – True Grit

Cartaz do filme BRAVURA INDÔMITA – True Grit
Estado de espírito:

Opinião

DIREÇÃO: Joel e Ethan Coen

ROTEIRO: Joel e Ethan Coen, Charles Porlis (livro)

ELENCO: Jeff Bridges, Hailee Steinfeld, Matt Damon, Josh Brolin

Estados Unidos, 2010 (110 min)

Meu forte nunca foram os filmes de faroeste. Confesso que tenho algumas lembranças de nomes e filmes, mas o bangue-bangue nunca foi um atrativo por si só. Quando me deparei com essa nova versão de Bravura Indômita pelas lentes dos irmãos Coen (também diretores de Um Homem Sério) e com Jeff Bridges  no papel que deu a John Wayne seu único Oscar da carreira em 1970, achei que seria um ótimo pretexto para entrar no gênero. Tudo isso para dizer que, se você é um novato como eu, não se acanhe. Bravura Indômita é um belo filme, tem passagens engraçadas protagonizadas pelo xerife beberão Cogburn, uma linda fotografia e ótimas atuações – motivos suficientes para não deixar de ver.

Não li o livro de Charles Portis, base para as duas versões. Mas o que os irmãos Coen tentaram fazer agora foi uma releitura, e não uma adaptação do filme com John Wayne. Cada qual com a sua linguagem e sua visão do mundo do faroeste, ambientado em 1880. O personagem de Jeff Bridges (também em Coração Louco, que lhe rendeu o Oscar em 2010) é “contratado” por uma garota de 14 anos (a ótima e novata Hailee Steinfeld) para vingar a morte de seu pai. Nessa jornada, parte com eles também um policial (Matt Damon, também em Além da Vida, Invictus, Syriana) e a partir daí a história se desenrola com muito tiro e perseguição, mas também com diálogos inteligentes e sensibilidade. E mais importante que isso, com delicadeza. De alguma maneira há, entre aqueles que tentam fazer justiça com as próprias mãos, empatia e troca de sentimentos, que levam ao bonito desfecho. A fotografia contribui, a trilha envolve, mas o que recheia é a sensibilidade da direção, a capacidade de entrelaçar crueldade e injustiça com pequenas sutilezas humanas.

OSCAR 2011: indicado para o Oscar de melhor filme, direção, ator (Jeff Bridges), atriz coadjuvante (Hailee Steinfeld), roteiro adaptado, fotografia, direção de arte, figurino, som, direção de som.

Estreia dia 11 de fevereiro nos cinemas.

Comentários