cinegarimpo

Festival

CANNES 2016 – Dos premiados, quem é quem?
Xavier Dolan, diretor canadense, premiado com o Gran Prix pelo filme Juste a la Fin du Monde
CLASSIFICAÇÃO: Festival, Festivais - 22/05/2016

Cannes terminou e deixou lição de casa pra quem quiser ficar com o cinema atualizado pra quando os premiados deste ano chegarem por aqui. Selecionei os filmes que são bacanas, dos diretores que saíram consagrados no festival. Garimpa e aproveita – porque tem de várias nacionalidades e gostos, comentados aqui no Cine Garimpo!

REINO UNIDO | INGLATERRA: KEN LOACH levou o prêmio máximo, a Palma de Ouro, por I, Daniel Blake. Já temos pra ver:

 

IRÃ: O filme The Salesman, de ASGHAR FARHADI, ganhou melhor ator e roteiro. Do diretor, já temos pra ver:

 

CANADÁ: o jovem cineasta XAVIER DOLAN, foi premiado com o Grand Prix por Juste à la Fin du MondeDo diretor, vale ver:

  • MOMMY (2014)
  • LAURENCE ANYWAYS (2012)
  • I KILLED MY MOTHER (2009)

 

FILIPINAS: a atriz Jaclyn Jose foi a melhor por Ma’Rosa, do diretor Brillante Mendoza. Dele, vale ver:

 

ROMÊNIA: CRISTIAN MUNGIU foi o  melhor diretor por Graduation. Também dele:

 

FRANÇA: também na direção, Olivier Assayas dividiu com Mungiu o prêmio por Personal Shopper. Também vale:

Sem Comentários » TAGS:  
FESTIVAL DO RIO 2015
CLASSIFICAÇÃO: Festival, Festivais, Brasil - 05/10/2015

Até dia 14 tem Festival do Rio rolando.

Sem Comentários » TAGS:  
FESTIVAL VARILUX DE CINEMA FRANCÊ 2015
CLASSIFICAÇÃO: França, Festival, Festivais - 02/06/2015

É o festival mais charmoso do ano. Essa dica vale também pra quem acha que cinema francês é sempre profundo, pesado e reflexivo. Era – que fique bem claro. A seleção inclui 16 produções e privilegia, pasmem, a comédia! E mais: esses 15 filmes estarão em 50 cidades de todo o país, pra alegria dos cinéfilos que não vivem em São Paulo, onde tem cinema europeu nos cinemas o ano todo.

O site do Festival Varilux tem todas as informações e está mais estruturado este ano. Portanto, é só clicar no link e se programar. Aqui vamos dar informações que não estão nos releases e garimpar outros trabalhos dos diretores e atores que participam dessa edição, pra você se situar e acertar no filme escolhido.

Meu destaque vai para os filmes:

DE CABEÇA ERGUIDA, de Emmanuelle Bercot (2015) – A diretora esteve ontem em São Paulo durante a coletiva de imprensa, para apresentar seu filme. Foi com essa produção que Cannes abriu este ano e Bercot levou a Palma de Ouro pelo papel em outro filme, … Portanto, super em alta – embora não estivesse com caras de bons amigos durante a apresentação de ontem. De qualquer forma, tenho grande expectativa sobre este filme. Diz respeito ao tratamento que recebem os menores infratores da justiça francesa – tema em voga no Brasil com a questão da idade para maioridade penal. No elenco, Catherine Deneuve no papel de uma juíza.

SAMBA, de Eric Toledano e Olivier Nakache (2014) – São os mesmos diretores de Intocáveis, aquela história emocionante sobre a amizade entre um rico empresário tetraplégico e seu cuidador, um negro imigrante, sem qualquer experiência. O filme fez história e não há quem não tenha gostado. É realmente emocionante. Com Samba, a questão da imigração ilegal é retomada, num misto de gêneros, que é o forte da dupla de cineastas. “Em Intocáveis, fizemos uma comédia dramática”, conta Toledano na coletiva em São Paulo. “Samba é o contrário, um drama com toques cômicos.” O protagonista é o mesmo Omar Sy, que fez Intocáveis, mas também conta com o ator Tahar Rahim (também em O Profeta) e Charlotte Gainsbourg (também em Melancolia) – é o primeira vez que veja a atriz sorrindo, livre de papéis mais pesados. A propósito do nome Samba: o filme tem um toque interessante de brasilidade na música, na linguagem e no ritmo. Vale seu ingresso!

QUE MAL EU FIZ A DEUS? (Qu’est-ce quón a fait au Bon Dieu?), de Philippe de Chauveron (2014) – Mais uma comédia que promete – foi o blockbuster na França em 2014, com mais de 12 milhões de espectadores. Não é por acaso: trata de um dos assuntos mais delicados da França – e da Europa – com humor e graça: a imigração. Divertidíssimo!

BEIJEI UMA GAROTA (Toute Première Fois), de Noémie Saglio e Maxime Govare (2014) – O ator Pio Marmai (também em Um Evento Feliz e A Delicadeza do Amor) não só é protagonista do filme, como também tem uma retrospectiva de seu trabalho no festival. É um feito, já que ele tem só 30 anos. Em Beijei Uma Garota, ele é um sujeito gay, que está de casamento marcado com seu companheiro de 10 anos, até que um dia transa com uma mulher. O filme gira em torno dessa descoberta e do que Jéremie irá fazer da vida. Divertido, o filme é pura comédia, com essa inversão de papéis em tempos em que sair do armário é assumir a homossexualidade – e não o contrário como aqui. Achei uma boa sacada!

 

Também estão na seleção do festival:

GEMMA BOVERY – A VIDA IMITA A ARTE, de Anne Fontaine – Mesma diretora de Coco Avant Chanel, Anne Fontaine fala da feminilidade do romance de Flaubert Madame Bovary, numa adaptação livre e contemporânea.

OS OLHOS AMARELOS DOS CRODODILOS (Les Yeux Jaunes des Crocodiles), de Cécile Telerman – O filme tem Patrick Bruel no elenco (também em Qual o Nome do Bebê) e promete ser uma boa comédia.

PAPA OU MAMAN, de Martin Bourboulon (2015)

O DIÁRIO DE UMA CAMAREIRA (Journal d’une Femme de Chambre), de Benoît Jacquot (2015) – Este tem elenco estrelado: Vincent Lindon (também em Mademoiselle Chambon e Bem-Vindo – filmes que adoro) e Léa Seydoux (também em Azul é a Cor Mais Quente), em um drama que se passa em 1900. Jacquot também é diretor de Adeus, Minha Rainha – ótimo filme de época.

NA PRÓXIMA, ACERTO NO CORAÇÃO (La Prochaine fois je Viserais le Couer), de Cédric Anger (2014) – Um thriller, com o ótimo Guillaume Canet, que está em cartaz no filme O Homem que Elas Amavam Demais (que vale seu ingresso).

O PREÇO DA FAMA (La Rançon de la Gloire), de Xavier Beavois (2014) –  Adoro outro filme do diretor Beavois, Homens e Deuses. Imperdível.

O QUE AS MULHERES QUEREM (Sous les Jupes des Filles), de Audrey Dana (2014) – Este tem o teor feminino, uma tentativa, segundo a diretora, de retratar o universo da mulher. Tem Isabelle Adjani no elenco, assim como a própria diretora.

SEXO, AMOR E TERAPIA (Tu Veux… Ou Tu Veux Pas), de Tonie Marshall (2015) – Com Patrick Bruel e Sophie Marceau

SOBRE AMIGOS, AMOR E VINHO (Barbecue), de Éric Lavaine – Por que é que não deixaram o título original? Foco na amizade e no churrasco, quem sabe. Tem Lambert Wilson, que está no ótimo Homens e Deuses, e foi o mestre de cerimônia em Cannes este ano.

HIPÓCRATES (Hippocrate), de Thomas Lilti (2015)

Sem Comentários » TAGS:  
CIRANDA DE FILMES 2015
CLASSIFICAÇÃO: Para se Divertir, Para Pensar, Festival, Festivais, Brasil - 20/05/2015

Amanhã a programação já é para o público. Dirigido a educadores, pedagogos, artistas, cinéfilos, gestores, cineastas, estudantes, pais e todos aqueles que querem olhar para a infância e a aprendizagem através da lente do cinema. Aliás, esse sempre foi o fio condutor do Cine Garimpo: garimpar filmes diversos, dos mais variados gêneros, nacionalidades, tons e cores, para aumentar o repertório e ampliar a visão de mundo. Quando pensamos em infância, na experiência da criança, na sua vivência familiar e escolar, na formação formal e informal, o cinema se encaixa como uma luva. Coloca-nos em contato com realidades distantes, ricas e preciosas, que nos fazem crescer no conhecimento e na emoção.

Palavras minhas, mas é assim que senti a vibração da primeira Ciranda de Filmes no ano passado. Agora o evento segue, e cresce. São 51 filmes, vindos dos quatro cantos do mundo, para trazer à tona discussões sob três pilares: famílias, criança e natureza, e protagonismo infantil. Sempre apostando no poder transformador (e ele é real, acredite!) do cinema na vida das pessoas, este evento é precioso. Além dos títulos escolhidos, haverá rodas de conversa, vivências lúdicas, corporais e musicais e oficinas. A programação está toda lá no site do evento.

Vários dos filmes selecionados já estão aqui no blog. É só clicar no nome do filme (abaixo) e conferir o comentário. Bom garimpo e boa ciranda!

quando: de 21 a 24 de mail | É de graça! 

onde: Cinesesc e Cine Livraria Cultura


Filmes comentados aqui no Cine Garimpo! 

O QUE EU MAIS DESEJO, de Hirokazu Kore-Eda | Japão, 2011 – O diretor tem uma sensibilidade ímpar, também em Pais e Filhos. Acabou de apresentar seu novo filme em Cannes, Notre Petite Soeur, que também tem o viés humano e o alicerce familiar bem fincados.

A CULPA É DO FIDEL, de Julie Gavras | França, 2006 –  Delicioso de ver, também está na lista de filmes do Cine Garimpo, em que “a criança dá o tom”.

TOMBOY, de Céline Sciamma | França, 2011 – Trata do tema do tema delicado do Transtorno da Identidade de Gênero; atualmente a diretora tem um outro filme em cartaz, também muito bom sobre adolescentes, chamado Garotas.

INDOMÁVEL SONHADORA, de Benh Zeitlin | EUA, 2013 – Triste e humano, é daqueles que faz parar para pensar.

 O SONHO DE WADJDA, de Haifaa Al Mansour | Arábia Saudita, 2012 – Primeiro filme feito por uma mulher cineasta no país. Uma preciosidade e oportunidade única de conhecer a realidade as meninas que não podem andar de bicicleta.

MINHAS MÃES E MEU PAI, de Lisa Cholodenko |  EUA, 2010 – Sobre o formato das novas famílias, com muita graça, humor e emoção.

Sem Comentários » TAGS:  
4a MOSTRA ECOFALANTE DE CINEMA AMBIENTAL
CLASSIFICAÇÃO: Para se Emocionar, Itália, França, Festival, Festivais, Documentário, Biografia - 19/03/2015

Hoje começa a 4a. Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental. Interessante o título “Ecofalante”- fala por si só. Até dia 29 de março, serão exibidos filmes sobre energia, recursos naturais, biodiversidade, consumo, cidades e povos. Dos diversos filmes selecionados de 23 nacionalidades, seis foram escolhidos para ser o ponto de partida dos debates após a exibição. O que é muito bacana – o cinema enquanto ferramenta de discussão e conscientização.

Considerando essa temática de cidades, lugares, natureza, povos, nada mais propício do que começar com um filme que retrata, literalmente, tudo isso: como pessoas se relacionam com o ambiente em que vivem. Através das lentes do fotógrafo Sebastião Salgado, O Sal da Terra transcende o modelo de documentário biográfico, levando o espectador a uma viagem íntima e pessoal pelo monumental trabalho do artista (foto).

Para mais informações e programação, acesse o link da Mostra (acima).

Sem Comentários » TAGS:  
GLOBO DE OURO 2014
CLASSIFICAÇÃO: Festival, Festivais, Estados Unidos - 17/01/2014

Não gosto quando as premiações giram em torno de um filme só. Primeiro porque fica aquela coisa sem graça e previsível; depois porque isso é o mais claro indício de que fomos muito mal servidos quantitativa e qualitativamente. Claro que filmes como A Lista de Schindler, O Último Imperador, O Paciente Inglês merecem todos o prêmios conquistados. E aqui ganhamos em qualidade, porque são memoráveis. Mas é preciso ter mais filmes bons, subir a régua, ter com o que competir. Em 2014 temos isso. Vários bons filmes. O Globo de Ouro pulverizou os prêmios e destacou produções criativas e sensíveis.

Do que já temos em cartaz, começo com Cate Blanchett, em Blue Jasmine, a melhor atriz. Está impecável, na fina histeria e na louca solidão. Igualmente irreparável é Gravidade, que premiou o diretor Alfonso Cuarón, mas não Sandra Bullock – Blanchet não era páreo na sua dramaticidade. A animação Frozen é a vencedora, assim como a Itália é consagrada com A Grande Beleza.

Do que ainda vem por aí: 12 Anos de Escravidão (28/02) foi o melhor drama, e a melhor comédia, Trapaça (estreia 07/02). Ambos prometem, inclusive porque Trapaça também premiou Amy Adams e Jennifer Lawrence, melhor atriz e atriz coadjuvante respectivamente. Já O Lobo de Wall Street junta Leonardo DiCaprio, que vence melhor ator comédia, com Martin Scorsese – boa dupla e excelente atuação. Clube de Compras Dallas dá o prêmio de ator drama a Matthew McConaughey e de ator coadjuvante a Jared Leto. Melhor roteiro fica com Ela, aquele filme que tem só a voz de Scarlett Johansson e melhor canção original para Ordinary Love, do filme Mandela, de autoria de Bono, U2.

Agora, acima da curva, completamente fora dos padrões, está Breaking Bad (elenco na foto acima). Melhor série drama, também foi coroada com a melhor atuação de um dos protagonistas, o professor-traficante Walter, na pele do fantástico ator Bryan Cranston. Espetacular, vale todos os minutos. Foi minha estreia nas séries, entrada triunfal.

 

Sem Comentários » TAGS:  
70º FESTIVAL DE VENEZA
CLASSIFICAÇÃO: Itália, Festival, Festivais, Dicas Afins - 29/08/2013

Começou ontem o 70º FESTIVAL DE CINEMA DE VENEZA. Abriu com Gravidade, do mexicano Alfonso Cuarón, com as estrelas Sandra Bullock e George Clooney. Parece que a plateia gostou (o filme estreia aqui no Brasil em outubro).

A premiação será só em 07 de setembro, quando saberemos quem leva o Leão de Ouro deste ano. Enquanto isso, veja quem ganhou nos anos passados e bom garimpo!

2012 – PIETÁ, de Kim Ki-Duk (Taiwan) – para pensar, e muito. Estranho e forte, mostra a crueldade humana sem qualquer filtro. Na Seul do boom imobiliário, um cobrador de dívidas vai até o limite para reaver o dinheiro dos agiotas. Veja, se tiver estômago!

2011- FAUSTO, Alexandr Sokurov (Rússia) – também para pensar. Denso, forte e muitas vezes estranho, Fausto é mais bacana para quem curte a filmografia de Sukurov e tem o mínimo de conhecimento sobre Fausto de Goethe. Se não tiver, fica literalmente boiando. A história é sobre um homem que vende a alma para o diabo, em troca de conhecimento. Fácil?

2010 – UM LUGAR QUALQUER, de Sofia Coppola (EUA) – filme bacana, sobre a dificuldade de lidar com a fama, dinheiro, soberba. Relações pessoais e familiares, bom para refletir sobre o tema.

2009 – LÍBANO, de Samuel Maoz (Israel)

2008 – O LUTADOR, de Darren Aronofsky (EUA) – este eu não entendi. Com Mickey Rourke no elenco, conta a história de um lutador fracassado, descontrolado e alcoólatra. Pode até ser que o ator esteja idealmente caracterizado para o papel, mas está em situação deplorável, o que já de cara me causou repulsa. Deprimente demais.

 

 

 

 

 

Sem Comentários » TAGS:  
6a MOSTRA AUDIOVISUAL ISRAELENSE
CLASSIFICAÇÃO: Festival, Especial, Dicas Afins - 03/06/2013

De hoje (3) a domingo (9), quem curte o cinema feito por cineastas de Israel pode se programar. A 6a Mostra Audiovisual Israelense traz filmes sobre a sociedade israelense, tocando em vários pontos com o religião, cultura, relacionamento, comportamento. É sempre superinteressante, sem falar que é um cinema de qualidade, que rende boas reflexões.

6mostra israelense

A programação está espalhada entre o Centro da Cultura Judaica, o clube A Hebraica, Cine Livraria Cultura e Shopping Higienópolis (veja a programação no site do festival). Para quem não consegue ir, o Cine Garimpo selecionou bons filmes sobre o tema, que já passaram por outras mostras por aqui e agora estão disponíveis em home video. É uma boa oportunidade para conhecer que cinema é esse! Eu recomendo!

 

A NOIVA SÍRIA (2004), de Eran Riklis

LEMON TREE (2008), de Eran Riklis

VALSA COM BASHIR (2008), de Ari Folman

A BANDA (2007), de Eran Kolirin

PECADO DA CARNE (2009 ), de Haim Tabakman

UM FILME INACABADO (2010), de Yael Hersonski

FREE ZONE (2005), de Amos Gitai

APROXIMAÇÃO (2007), de Amos Gitai

O DIA DO PERDÃO (2000), de Amos Gitai

UMA GARRAFA NO MAR DE GAZA (2013), de Thierry Binisti

MISSÃO DO GERENTE DE RECURSOS HUMANOS (2010), de Eran Riklis

O GATO DO RABINO (2011), de Joann Sfar

 

 

Sem Comentários » TAGS:  
FESTIVAL DE CANNES 2013 – Quem são os jurados?
CLASSIFICAÇÃO: Festival, Especial, Dicas Afins - 15/05/2013

cannes 2013De hoje a 26 de maio, Cannes recebe a nata do cinema mundial. Mundial mesmo, porque até a escolha do júri está carregado de significado.

E de nacionalidades diferentes. Além das premiações, do tapete vermelho e de tudo mais que gira em torno das estrelas e produções, é interessante pensar nesse perfil de jurados. Afinal, são eles que escolhem o filme que ganha a Palma de Ouro e, portanto, a chancela para fazer carreira no mundo todo. Assim, quanto mais eclético e diversificado for o corpo de jurados, mais interessantes ficam os prêmios.

Entre os integrantes estão a diretora escocesa Lynne Ramsey, do arrebatador Precisamos Falar Sobre Kevin, exibido no ano passado em Cannes, o ator francês Daniel Auteuil, de filmes como Caché e Conversas com Meu Jardineiro, e a atriz australiana Nicole Kidman, de As Horas, Os Outros, Reencontrando a Felicidade. Da Alemanha vem Christoph Waltz, o ator de Tarantino premiado em Django Livre e Bastardos Inglórios, mas também do ótimo Deus da Carnificina. Ang Lee é o representante de Taiwan, diretor de As Aventuras de Pi e vencedor do Oscar deste ano na categoria.

Também temos Vidya Balan, atriz indiana, Naomi Kawase, cineasta japonês e Cristian Mungiu, o diretor e roteirista romeno, responsável por Além das Montanhas, 4 meses, 3 semanas, 2 dias, Contos da Era Dourada. Para fechar a Torre de Babel, Steven Spielberg, que prescinde apresentações e é um dos ícones do cinema americano e global. Como presidente do júri de Cannes, a escolha soa especial. Parece que pouco importa se o cinema que se faz é de arte ou comercial. Fiquei com a impressão que, por um instante, os egos ficaram um pouco de lado e o cinema de qualidade é que foi privilegiado.

Vamos aguardar o andamento do evento, que já começou com classe com a exibição de O Grande Gatsby, de Baz Luhrmann, que estreia no Brasil em 7 de junho.

 

Sem Comentários » TAGS:  

Próxima página »

CATEGORIAS

INSCREVA-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER

Você também pode assinar listas específicas: