25º MIX BRASIL – FESTIVAL DE CULTURA DA DIVERSIDADE

Publicado em

Teremos 10 dias de cinema gratuito em São Paulo com o tema da diversidade: são 159 filmes de 34 países. Além de longas metragens, tem curtas, música, shows, teatro. Tudo de 15 a 26 de novembro.

O 25º Mix Brasil de Cultura da Diversidade abre às 16h no Parque do Ibirapuera dia 15, com show no palco aberto e sessão para convidados do filme italiano ME CHAME PELO SEU NOME (já premiadíssimo), do diretor Luca Guadagnino, também de Um Sonho de Amor e Um Mergulho no Passado. Os dois ótimos. Além desse, alguns destaques de filmes da programação, que representam seu país na corrida pela indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro:

THELMA, de Joachim Trier (foto), Noruega| Também diretor de Mais Forte que Bombas e Oslo, 31 de Agosto, Thelma é sobre uma menina que tem poderes sobrenaturais, é adolescente e não entende o que acontece. Um drama, com fantasia. Muito bom, tenso, intenso e com ótimo desfecho.

Conversa Fiada, Huichen Huang, Taiwan

Tom of Finland, Dome Karukoski, Finlândia

Os Iniciados, de John Trengove, África do Sul

O homenageado é o cineasta amaricano Gus Van Sant, de Elefante e Milk: A Voz da Igualdade exibidos no festival. É dele também Gênio Indomável e Inquietos.

Todas as informações no site do festival.

21º FESTIVAL DE CINEMA JUDAICO

Publicado em

Tirando da frente, de uma vez por todas, o discurso de que é preciso ser judeu para interessar-se pelo festival – e isso serve para qualquer mostra temática – fique de olho no garimpo que temos de 30 de julho a 9 de agosto em São Paulo. Organizado e idealizado pelo Clube Hebraica, o festival vai exibir 24 filmes (19 inéditos) que abordam a cultura judaica, a partir dos mais varias prismas – político, artístico, musical, histórico, feminino, esportivo, entre outros.

A programação está disponível no site da Hebraica, mas ficam aqui as sugestões já vistas.

_______________________

OS MENINOS QUE ENGANAVAM NAZISTAS, de Christian Duguay (2017) | Prepare o lenço para mais uma história real, contada sob o ponto de vista do mais novo dos quatro irmãos de um casal de judeus. Praticamente um roadmovie de fuga, o foco é no garoto Jojo que precisa chegar no sul da França com o irmão, para não ser enviado ao campo de concentração. Superemocionante, tem um título lindo em francês: “um saquinho de bolas de gude” – traduz a sensibilidade do filme, na importância da família, do convívio e a força das memórias afetivas. | Estreia no circuito comercial dia 3 de agosto. 

 

_________________________

BYE BYE ALEMANHA, de Sam Garbarski, (2017) | Do diretor do ótimo Irina Palm, esta produção passeia no pós-guerra, com foco em um grupo de sobreviventes do Holocausto. Embora traumatizados com os horrores da guerra e todas as perdas, os amigos tocam a vida em frente, inventam um novo negócio pra ganhar dinheiro e conseguir migrar para os Estados Unidos. Com humor e uma pegada de uma quase-aventura (tem um clima de ousadia de rir da própria tragédia), o roteiro dá ao filme uma leveza inverossímil, porém bem-vinda. Uma mensagem da vida que segue, de que muitos estão vivos, prontos pra refazer a vida, encontrar a cara-metade e tocar o barco adiante. | Filme de abertura do festival, estreia no circuito comercial dia 24 de agosto, (foto).