HOJE TEM PRÊMIO DO FESTIVAL CELUCINE DE MICROMETRAGENS

Publicado em

Na coletiva de imprensa da edição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo deste ano, um jornalista perguntou se a maioria das cópias dos filmes selecionados era digital. Nem precisava. Com um celular na mão, a gente sai filmando o que quiser. Claro que, pra isso virar um filme, é uma outra história. Mas fato é que a tecnologia, aliada a talento e criatividade, dá muita margem para produções interessantes.

Melhor ainda quando há onde mostrar. O FESTIVAL CELUCINE DE MICROMETRAGENS, na sua 6a edição, tem essa proposta: abrir espaço para filmes de feitos só em plataformas digitais: celulares, tablets, máquinas fotográficas e câmeras digitais. Adorei esse nome, Celucine! E o melhor de tudo: tema livre, de trinta segundos a 3 minutos. Não que seja fácil, mas é uma maneira bacana de incentivar gente talentosa a mostrar a cara – e o olhar!

A premiação dos melhores nas categorias Animação, Ficção e Documentário será hoje, dia 27, Itaú Cultural. Foram 256 inscritos de todo o Brasil e países de língua portuguesa e os melhores serão escolhidos pelo júri formado pela cineasta Anna Muylaert (de Durval Discos e É Proibido Fumar), pelo ator Julio Andrade (também de Entre NósSerra Pelada e Gonzaga – De Pai Pra Filho), pelo diretor de animação Ale McHaddo e por representantes do Itaú Cultural, Certisign, Rio Filme e Canal Brasil.

 Os finalistas são:

AnimaçãoRestos de Coisas, de Marco Nick (BH), Um Salve, de Mário Sérgio Ferreira (Blumenau, SC) e All is need is sex, de Luiz Melo (Olinda, PE; foto acima)

DocumentárioA Lua e a Madeira, de Pedro Bezerra Jorge (SP), Tum Tum, o Som do Batuque, de Bruno Martins Felipe Gonçalves (SP) e Cloudy Sky, de Alex Antônio de M. Souza (Parelhas, RN)

FicçãoElevate, de Silvana Nuti (SP), Maquiagem, de Evandro Manchini (RJ) e Fim de Jogo, de Cristian Damian de Ciânico (Florianópolis, SC)