MOSTRA ‘IRMÃOS MAYSLES’ no BELAS ARTES

Publicado em

Já está rolando no Caixa Belas Artes a mostra IRMÃOS MAYSLES – A DISCIPLINA DO OLHAR. São 30 filmes da dupla conhecida com pioneira no Cinema Direto: captavam o cinema no seu estado mais puro, a partir de técnicas disponíveis naquelas décadas de 60 e 70, com uma câmera no ombro e som direto. A vida como ela é, filmada com liberdade.

Para ver a programação completa, clique aqui. Mas já adianto que ainda há sessões de seus principais filmes – Grey Gardens (1975), sobre a vida das irmãs Beale, parentes de Jacqueline Kennedy; e Caixeiro-Viajante (1968), sobre um grupo que vende bíblias caras a católicos de baixa renda.

Destaque para o dia 12, quando haverá debate após a exibição de Caixeiro-Viajante (16h), com João Moreira Salles e Patrícia Mourão, com mediação de Fellipe Mussel (18h30).

Programação e lista de filmes abaixo da vinheta.

PROGRAMAÇÃO:

 30/11, quinta-feira

16h: Christo’s Valley Curtain (1974), 28′ + Christo in Paris (1990), 58′

18h30: The Gates (2007), 94′

1/12, sexta-feira

16h: Muhammad and Larry (1980), 27′ + Showman (1963), 53′

18h30: The Beales of Grey Gardens (2006), 90′

2/12, Sábado

16h: Masterclass Jonathan Vogels – “O duradouro legado dos irmãos Maysles”

23h30: Gimme Shelter (1970), 91′ – Exibição especial em 35mm

3/12, Domingo

16h: Grey Gardens (1976), 94′

18h30: Caixeiro-Viajante (1969), 90′

4/12, segunda-feira

16h: With love from Truman (1966), 29′ + Jessye Norman Sings Carmen (1989), 57′

18h30: Sessão de Curtas: Psychiatry in Russia (1955), 13′ +  Safari Ya Gari (1961), 10′ + Anastasia (1962), 8′ + Orson Welles in Spain (1963), 10’ + IBM: A Self Portrait (1964), 35′ + Cut Piece (1966), 8′ + Meet Marlon Brando (1966), 27′ + Russian Close-Up (1957), 33′

5/12, terça-feira

16h: Iris, uma vida de estilo (2014), 80′

18h30: What’s Happening! The Beatles in the Usa (1964), 70′

6/12, quarta-feira

16h: Horowitz Plays Mozart (1987), 50′ + Ozawa (1985), 56′

18h30: Accent on the Offbeat (1994), 56′ + Sally Gross – The Pleasure of Stillness (2007), 52′

7/12, quinta-feira

16h: Running Fence (1978), 57′ + Islands (1986), 56′

18h30: Umbrellas (1994), 81′

8/12, sexta-feira

16h: Vladimir Horowitz: The Last Romantic (1985), 88′

18h30: Soldiers of Music: Rostropovich Returns to Russia (1991), 88′

9/12, sábado

16h: Sessão de Curtas: Psychiatry in Russia (1955), 13′ +  Safari Ya Gari (1961), 10′ + Anastasia (1962), 8′ + Orson Welles in Spain (1963), 10’ + IBM: A Self Portrait (1964), 35′ + Cut Piece (1966), 8′ + Meet Marlon Brando (1966), 27′ + Russian Close-Up (1957), 33′

18h50: Grey Gardens (1976), 94′

23h30: What’s Happening! The Beatles in the Usa (1964), 70′

10/12, domingo

16h: Christo’s Valley Curtain (1974), 28′  + Christo In Paris (1990), 58′

18h30: Muhammad and Larry (1980), 27′ + Showman (1963), 53’

11/12, segunda-feira

16h: Accent on the Offbeat (1994), 56′ + Sally Gross – The Pleasure of Stillness (2007), 52’

18h30: The Beales Of Grey Gardens (2006), 90′

12/12, terça-feira

16h: Caixeiro-viajante (1969), 90′

18h30: Debate Nem moscas nem paredes: empatia e dramaticidade no cinema dos Irmãos Mayslescom João Moreira Salles e Patrícia Mourão, e  mediação de Felippe Mussel.

13/12, quarta-feira

16h: With love from Truman (1966), 29′ + Jessye Norman Sings Carmen (1989), 57′

18h30: Gimme Shelter (1970), 91′

_____________________________


LISTA DE FILMES
         

Sinopse: Em 1995, Albert Maysles viajou de motocicleta pela Rússia. Durante a viagem, ele gravou seu primeiro filme, uma visão sem precendentes dos hospitais psiquiátricos soviéticos.

RUSSIAN CLOSE-UP (1957)

Sinopse: Diário visual de Albert Maysles com pessoas e lugares encontrados ao longo de um passeio de moto pela União Soviética no final da década de 1950.

SAFARI YA GARI (1961)

Sinopse: Este é o primeiro filme de viagem de Albert Maysles, feito em uma estação de trem do Quênia, e capta uma performance musical improvisada. Alguns passageiros se juntam fervorosamente, enquanto outros dormem – felizmente, sem saberem o que ocorre ao redor.

ANASTASIA (1962)

Sinopse: Trabalho do início da carreira dos irmãos Maysles para a emissora NBC. Produzido no auge ga Guerra Fria pelo aclamado roteirista Bo Goldman, o doc aborda a vida de Anastasia Stevens, uma dançarina americana no Ballet Bolshoi.

SHOWMAN (1963)

Sinopse: Showman segue o produtor cinematográfico Joe Levine durante a promoção do filme Two Women, com performance vencedora do Oscar de Sophia Lauren.

ORSON WELLES IN SPAIN (1963)

Sinopse: Frente a uma audiência de poderosos mecenas, Welles pontifica sobre o estado do cinema, o processo cinematográfico e a arte das touradas.

WHAT’S HAPPENING! THE BEATLES IN THE USA (1964)

Sinopse: Um relato humorístico e encantador da primeira viagem dos Beatles à América.

IBM: A SELF PORTRAIT (1964)

Sinopse: Através do estilo intimista dos irmãos Maysles, o documentário capta o futuro dessa gigante da informática na fase inicial do seu desenvolvimento.

CUT PIECE (1966)

Sinopse: Filmado no Carnegie Hall, em Nova York, Cut Piece documenta uma das peças conceituais mais poderosas de Yoko Ono. Realizado pela própria artista, Ono fica imóvel no palco depois de convidar o público a subir e cortar suas roupas em um desenlace da reciprocidade entre vítima e agressor.

MEET MARLON BRANDO (1966)

Sinopse: Jornalistas de toda a América Latina Marlon Brando em um quarto de hotel de Nova York para entrevistá-lo sobre seu novo filme, Morituri. Um retrato encantador e inusitadamente sincero dessa estrela de cinema mundialmente famosa.

WITH LOVE FROM TRUMAN (1966)

Sinopse: Este filme retrata um encontro com o renomado autor Truman Capote em sua casa à beira-mar, onde Capote compartilha sua personalidade “autossuficiente” com filosofia de boteco e piadas calculadas.

CAIXEIRO-VIAJANTE (1968)

Sinopse: Quatro implacáveis caixeiros-viajantes lidam com rejeição constante, nostalgia e o desgaste inevitável ao atravessar os EUA vendendo bíblias caras para famílias católicas de baixa renda.

GIMME SHELTER (1970)

Sinopse: O documentário sobre o histórico e trágico concerto gratuito dos Rolling Stones no Altamont Speedway em 6 de dezembro de 1969.

CHRISTO’S VALLEY CURTAIN (1974)

Sinopse: Nomeado ao Oscar, esse documentário celebra uma dramática caminhada do artista búlgaro Christo sobre uma gigantesca cortina laranja instalada entre duas montanhas no Colorado.

GREY GARDENS (1976)

Sinopse: Em 1973, um escândalo ocupou as manchetes dos jornais americanos. Alegando falta de condições sanitárias, autoridades locais tentaram expulsar mãe e filha de Grey Gardens, uma mansão decadente no balneário de luxo de East Hampton. Seria uma notícia banal, não fossem elas as ex-socialites Edith Bouvier Beale e sua filha Edie, respectivamente tia e prima de Jacqueline Kennedy Onassis. Dois anos depois, Big Edie e Little Edie, como eram conhecidas, abrem as portas para os documentaristas Albert e David Maysles.

RUNNING FENCE (1978)

Sinopse: O documentário retrata a longa luta dos artistas Christo e Jeanne-Claude para construir uma cerca de 40 kilômetros de tecido branco sobre as colinas da Califórnia que desaparecem no Pacífico. O custo: três milhões de dólares.

MUHAMMAD AND LARRY (1980)

Sinopse: Com três títulos mundiais na categoria superpesado, porque Muhammad Ali lutou com Larry Holmes pelo quarto em 1980? O que ele queria provar?

VLADIMIR HOROWITZ: THE LAST ROMANTIC (1985)

Sinopse: Horowitz explora sua última paixão – Mozart – durante sua primeira gravação de estúdio em mais de 35 anos. Sagacidade, sabedoria e uma performance de maestro.

OZAWA (1985)

Sinopse: Uma imersão nos bastidores de uma das figuras mais conhecidas e menos compreendidas da música clássica. Ozawa é diretor da Boston Symphony desde 1973 e, como um dos melhores maestros do mundo, apresenta-se em capitais musicais como Berlim, Paris e Milão.

ISLANDS (1986)

Sinopse: Em maio de 1983, por apenas duas semanas, a obra de Christo e Jeanne-Claude intitulada “Surrounded Islands” brotou nas águas da baía de Biscayne, na Flórida. Onze ilhas de pinheiros foram cercadas por 6 milhões de metros quadrados de tecido rosa brilhante. Foi uma luta de três anos, um drama político entremeado por outros dois projetos em andamento: o embrulho da Pont Neuf, em Paris, e o Reichstag, em Berlim.

HOROWITZ PLAYS MOZART (1987)

Sinopse: Em março de 1987, o pianista Vladimir Horowitz iniciou um projeto extraordinário. Pela primeira vez em 35 anos ele concordou em gravar com uma orquestra sinfônica em um estúdio. Ele escolheu o maestro Carlo Maria Giulini, a orquestra Filarmônica La Scala e o estúdio de gravação Abanella de La Scala, em Milão.

JESSYE NORMAN SINGS CARMEN (1989)

Sinopse: O conto épico de sedução e traição conhecido como “Carmen” repaginado em uma nova e radiante interpretação quando o grande talento Jessye Norman interpreta-o pela primeira vez.

CHRISTO IN PARIS (1990)

Sinopse: Christo e Jeanne Claude em seu primeiro projeto urbano de grande escala, envolvendo a ponte mais antiga de Paris, a Pont Neuf, a mesma ponte onde Christo cortejou Jeanne Claude pela primeira vez. O casal levou dez anos para obter a autorização da prefeitura de Paris para o poder envolvê-la toda em tecido.

SOLDIERS OF MUSIC: ROSTROPOVICH RETURNS TO RUSSIA (1991)

Sinopse: Quando o violoncelista e maestro Mstislav Rostropovich voltou para a União Soviética, depois de 16 anos em exílio, mal conseguiu conter suas lágrimas e risadas.

ACCENT ON THE OFFBEAT (1994)

Sinopse: O documentário apresenta o processo de criação e a estreia do espetáculo Jazz, composto pelo virtuoso trompetista Wynton Marsalis e coreografado pelo corpo de ballet de Peter Marting, do New York City Ballet. O foco do filme é o incrível contraste – nos bastidores, do temperamento, estilo e processo criativo – entre Martins e Marsalis, e como eles aproximaram os distintos universos do jazz e do ballet.

UMBRELLAS (1994)

Sinopse: A controversa história da grandiosa obra de arte do artista Christo que culminou na morte trágica de dois espectadores no Japão e na Califórnia. Ganhador do Grande Prêmio do Festival de Cinema de Montreal, foi exibido no Museu de Arte Moderna da NY e no Louvre, em Paris.

THE BEALES OF GREY GARDENS (2006)

Sinopse: Uma declaração de amor aos fãs do filme original (Grey Gardens) e às duas mulheres retratadas, construído inteiramente a partir de materiais inéditos do arquivo dos irmãos Maysles.

THE GATES (2007)

Sinopse: Documentário sobre o processo de criação e montagem da maior instalação artística pública já feita em Nova York, uma obra de Christo e Jeanne Claude.

SALLY GROSS – THE PLEASURE OF STILLNESS (2007)

Sinopse: Documentário sobre a vida e o processo artístico do aclamado danc?arino e coreógrafo nova-iorquino Sally Gross, que esteve envolvido em inúmeros movimentos artísticos nos últimos 50 anos e ainda hoje influencia as novas gerações.

IRIS, UMA VIDA DE ESTILO (2014)

Sinopse: A vida de uma lenda da moda e decoração, a nova-iorquina Iris Apfel, que aos 93 anos ainda aconselha modelos e pechincha com os compradores.

 

Panorama do Cinema Libanês

Publicado em

Agora é a vez do cinema do Líbano. Teremos o festival chamado ESTE É O LÍBANO – é a primeira mostra deste país por aqui e conta com 20 filmes contemporâneos, no Rio e em São Paulo.

O escolhido pra abertura dia 21 é O INSULTO, do diretor Ziad Doueiri, num evento só pra convidados – o Cine Garimpo estará lá pra prestigiar e conferir o filme que fez parte da seleção oficial do Festival de Cinema de Veneza em 2017, quando o ator Kamel El Basha levou o prêmio de melhor ator. É também o indicado do Líbano na disputa pelo Oscar de melhor filme estrangeiro.

Outros filmes da programação:

E AGORA, AONDE VAMOS?, de Nadine Labaki

PEUR DE RIEN”, de Danielle Arbid;

WAVES ‘98”, de Ely Dagher, ganhador da Palma de Ouro em Cannes 2015 de melhor curta-metragem

GHADI”, de Amin Dora

THE LEBANESE ROCKET SOCIETY”, de Khalil e Joanna Joreige

YA OMRI”, de Hady Zaccak

 _____________________

QUANDO: de 23 a 29 de novembro de 2017

ONDE: São Paulo – Espaço Itaú de Cinema Augusta

INGRESSOS: Entrada gratuita – inscrições pelo site

MAIS INFORMAÇÕES: www.esteeolibano.com.br / www.facebook.com/esteeolibano

 

 

25º MIX BRASIL – FESTIVAL DE CULTURA DA DIVERSIDADE

Publicado em

Teremos 10 dias de cinema gratuito em São Paulo com o tema da diversidade: são 159 filmes de 34 países. Além de longas metragens, tem curtas, música, shows, teatro. Tudo de 15 a 26 de novembro.

O 25º Mix Brasil de Cultura da Diversidade abre às 16h no Parque do Ibirapuera dia 15, com show no palco aberto e sessão para convidados do filme italiano ME CHAME PELO SEU NOME (já premiadíssimo), do diretor Luca Guadagnino, também de Um Sonho de Amor e Um Mergulho no Passado. Os dois ótimos. Além desse, alguns destaques de filmes da programação, que representam seu país na corrida pela indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro:

THELMA, de Joachim Trier (foto), Noruega| Também diretor de Mais Forte que Bombas e Oslo, 31 de Agosto, Thelma é sobre uma menina que tem poderes sobrenaturais, é adolescente e não entende o que acontece. Um drama, com fantasia. Muito bom, tenso, intenso e com ótimo desfecho.

Conversa Fiada, Huichen Huang, Taiwan

Tom of Finland, Dome Karukoski, Finlândia

Os Iniciados, de John Trengove, África do Sul

O homenageado é o cineasta amaricano Gus Van Sant, de Elefante e Milk: A Voz da Igualdade exibidos no festival. É dele também Gênio Indomável e Inquietos.

Todas as informações no site do festival.

21º FESTIVAL DE CINEMA JUDAICO

Publicado em

Tirando da frente, de uma vez por todas, o discurso de que é preciso ser judeu para interessar-se pelo festival – e isso serve para qualquer mostra temática – fique de olho no garimpo que temos de 30 de julho a 9 de agosto em São Paulo. Organizado e idealizado pelo Clube Hebraica, o festival vai exibir 24 filmes (19 inéditos) que abordam a cultura judaica, a partir dos mais varias prismas – político, artístico, musical, histórico, feminino, esportivo, entre outros.

A programação está disponível no site da Hebraica, mas ficam aqui as sugestões já vistas.

_______________________

OS MENINOS QUE ENGANAVAM NAZISTAS, de Christian Duguay (2017) | Prepare o lenço para mais uma história real, contada sob o ponto de vista do mais novo dos quatro irmãos de um casal de judeus. Praticamente um roadmovie de fuga, o foco é no garoto Jojo que precisa chegar no sul da França com o irmão, para não ser enviado ao campo de concentração. Superemocionante, tem um título lindo em francês: “um saquinho de bolas de gude” – traduz a sensibilidade do filme, na importância da família, do convívio e a força das memórias afetivas. | Estreia no circuito comercial dia 3 de agosto. 

 

_________________________

BYE BYE ALEMANHA, de Sam Garbarski, (2017) | Do diretor do ótimo Irina Palm, esta produção passeia no pós-guerra, com foco em um grupo de sobreviventes do Holocausto. Embora traumatizados com os horrores da guerra e todas as perdas, os amigos tocam a vida em frente, inventam um novo negócio pra ganhar dinheiro e conseguir migrar para os Estados Unidos. Com humor e uma pegada de uma quase-aventura (tem um clima de ousadia de rir da própria tragédia), o roteiro dá ao filme uma leveza inverossímil, porém bem-vinda. Uma mensagem da vida que segue, de que muitos estão vivos, prontos pra refazer a vida, encontrar a cara-metade e tocar o barco adiante. | Filme de abertura do festival, estreia no circuito comercial dia 24 de agosto, (foto).

 

 

 

TELECINE COM SINAL ABERTO PRA QUEM QUISER!

Publicado em

Até dia 07 de março, mesmo sem ser assinante do Telecine, você pode assistir aos filmes. O sinal está aberto, então aproveita!

Alguns filmes bons, com comentário aqui no blog pra você acertar no programa.

 

Birdman

Boyhood – Da Infância à Juventude

A Teoria de Tudo

Selma – Uma Luta Pela Igualdade

Caminhos da Floresta

A Garota Exemplar

O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos

Os Boxtrolls

Invencível

Planeta dos Macacos: O Confronto

Leviatã

Livre

Malévola

 

 

JESSICA LANGE: Fotógrafa

Publicado em
ONDE: MIS – MUSEU DA IMAGEM E DO SOM
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo – SP, Brasil. CEP 01449-000.

Telefone: 11 2117 4777

QUEM DISPUTA O OSCAR 2015

Publicado em

Foi divulgada hoje a lista dos indicados.

Gostei: da escolha dos filmes estrangeiros. Só filme bom! De Marion Cotillard ser indicada pelo filme Dois Dias, Uma Noite, dos Irmãos Dardenne. De Boyhood ser indicado para as principais categorias: filme, diretor, ator, atriz coadjuvante, roteiro original.

Não gostei: do destaque tão grande que teve O Jogo da Imitação Grande Hotel Budapeste. O primeiro tem uma história real incrível, mas não tem nada de muito especial enquanto filme (como conjunto de filme-história-real, gosto mais de A Teoria de Tudo); o segundo é original, mas não é para tanto assim. Ou será que terei de ver de novo para crer?

 

Melhor filme
Sniper americano
Birdman
Boyhood: Da infância à juventude
O grande hotel Budapeste
O jogo da imitação
Selma
A teoria de tudo
Whiplash

Melhor diretor
Alejandro Gonzáles Iñárritu (“Birdman“)
Richard Linklater (“Boyhood“)
Bennett Miller (“Foxcatcher: Uma história que chocou o mundo“)
Wes Anderson (“O grande hotel Budapeste”)
Morten Tyldum (“O jogo da imitação“)

Melhor ator
Steve Carell (“Foxcatcher“)
Bradley Cooper (“Sniper americano”)
Benedict Cumbertatch (“O jogo da imitação“)
Michael Keaton (“Birdman“)
Eddie Redmayne (“A teoria de tudo“)

Melhor ator coadjuvante
Robert Duvall (“O juiz”)
Ethan Hawke (“Boyhood“)
Edward Norton (“Birdman“)
Mark Ruffalo (“Foxcatcher“)
JK Simons (“Whiplash“)

Melhor atriz
Marion Cotillard (“Dois dias, uma noite“)
Felicity Jones (“A teoria de tudo“)
Julianne Moore (“Para sempre Alice”)
Rosamund Pike (“Garota exemplar“)
Reese Whiterspoon (“Livre“)

Melhor atriz coadjuvante
Patricia Arquette (“Boyhood“)
Laura Dern (“Livre“)
Keira Knightley (“O jogo da imitação“)
Emma Stone (“Birdman“)
Meryl Streep (“Caminhos da floresta“)

Melhor filme em língua estrangeira
Ida” (Polônia)
Leviatã” (Rússia)
“Tangerines” (Estônia)
Timbuktu” (Mauritânia)
Relatos selvagens” (Argentina)

Melhor documentário
“O sal da terra”
“CitizenFour”
“Finding Vivian Maier”
“Last days”
“Virunga”

Melhor documentário em curta-metragem 
“Crisis Hotline: Veterans Press 1”
“Joanna”
“Our curse”
“The reaper (La Parka)”
“White earth”

Melhor animação
“Operação Big Hero”
Como treinar o seu dragão 2
Os Boxtrolls
“Song of the sea”
“The Tale of the Princess Kaguya”

Melhor animação em curta-metragem
“The bigger picture”
“The dam keeper”
“Feast”
“Me and my moulton”
“A single life”

Melhor curta-metragem em ‘live-action’
“Aya”
“Boogaloo and Graham”
“Butter lamp (La lampe au beurre de Yak)”
“Parvaneh”
“The phone call”

Melhor roteiro original
Alejandro G. Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris Jr. e Armando Bo (“Birdman“)
Richard Linklater (“Boyhood“)
E. Max Frye e Dan Futterman (“Foxcatcher“)
Wes Anderson e Hugo Guinness (“O grande hotel Budapeste”)
Dan Gilroy (“O abutre“)

Melhor roteiro adaptado
Jason Hall (“Sniper americano”)
Graham Moore (“O jogo da imitação“)
Paul Thomas Anderson (“Vício inerente”)
Anthony McCarten (“A teoria de tudo“)
Damien Chazelle (“Whiplash“)
Melhor fotografia

Emmanuel Lubezki (“Birdman“)
Robert Yeoman (“O grande hotel Budapeste”)
Lukasz Zal e Ryszard Lenczewski (“Ida“)
Dick Pope (“Sr. Turner”)
Roger Deakins (“Invencível“)

Melhor edição
Joel Cox e Gary D. Roach (“Sniper americano”)
Sandra Adair (“Boyhood“)
Barney Pilling (“O grande hotel Budapeste”)
William Goldenberg (“O jogo da imitação“)
Tom Cross (“Whiplash“)

Melhor design de produção
“O grande hotel Budapeste”
O jogo da imitação
Interestelar
Caminhos da floresta
“Sr. Turner”

Melhores efeitos visuais
Dan DeLeeuw, Russell Earl, Bryan Grill e Dan Sudick (“Capitão América 2: O soldado invernal”)
Joe Letteri, Dan Lemmon, Daniel Barrett e Erik Winquist (“Planeta dos macacos: O confronto“)
Stephane Ceretti, Nicolas Aithadi, Jonathan Fawkner e Paul Corbould (“Guardiões da Galáxia”)
Paul Franklin, Andrew Lockley, Ian Hunter e Scott Fisher (“Interestelar“)
Richard Stammers, Lou Pecora, Tim Crosbie e Cameron Waldbauer (“X-Men: Dias de um futuro esquecido”)

Melhor figurino
Milena Canonero (“O grande hotel Budapeste”)
Mark Bridges (“Vício inerente”)
Colleen Atwood (“Caminhos da floresta“)
Anna B. Sheppard e Jane Clive (“Malévola”)
Jacqueline Durran (“Sr. Turner”)

Melhor maquiagem e cabelo
Bill Corso e Dennis Liddiard (“Foxcatcher“)
Frances Hannon e Mark Coulier (“O grande hotel Budapeste”)
Elizabeth Yianni-Georgiou e David White (“Guardiões da Galáxia”)

Melhor trilha sonora
Alexandre Desplat (“O grande hotel Budapeste”)
Alexandre Desplat (“O jogo da imitação“)
Hans Zimmer (“Interestelar“)
Gary Yershon (“Sr. Turner”)
Jóhann Jóhannsson (“A teoria de tudo“)

Melhor canção
“Everything is awesome”, de Shawn Patterson (“Uma aventura Lego“)
“Glory”, de John Stephens e Lonnie Lynn (“Selma“)
“Grateful”, de Diane Warren (“Além das luzes”)
“I’m not gonna miss you”, de Glen Campbell e Julian Raymond (“Glen Campbell…I’ll be me”)
“Lost Stars”, de Gregg Alexander e Danielle Brisebois (“Mesmo se nada der certo“)

Melhor edição de som
Alan Robert Murray e Bub Asman (“Sniper americano”)
Martín Hernández e Aaron Glascock (“Birdman“)
Brent Burge e Jason Canovas (“O hobbit: A batalha dos cinco exércitos“)
Richard King (“Interestelar“)
Becky Sullivan e Andrew DeCristofaro (“Invencível“)

Melhor mixagem de som
John Reitz, Gregg Rudloff e Walt Martin (“Sniper americano”)
Jon Taylor, Frank A. Montaño e Thomas Varga (“Birdman“)
Gary A. Rizzo, Gregg Landaker e Mark Weingarten (“Interestelar“)
Jon Taylor, Frank A. Montaño e David Lee (“Invencível“)
Craig Mann, Ben Wilkins e Thomas Curley (“Whiplash“)

INDICADOS DO SAG AWARDS 2015

Publicado em

Começa logo mais, em janeiro, a temporada de premiação de 2015. Quem abre é sempre o Globo de Ouro, em 11/01/2015, e em seguida vem o prêmio dado pelo Sindicato dos Atores dos EUA, o SAG AWARDS (Screen Actors Guild Awards), dia 25. Os indicados já saíram e confesso que fiquei bastante feliz com as indicações que Birdman recebeu. O filme, ainda inédito no Brasil (estreia em janeiro), trata de um assunto importante, que invariavelmente atinge os famosos, salvo raras exceções. Depois da fama, quando a idade chega e outros ocupam seu lugar, o que resta para quem já não atrai holofotes, amores e convites para trabalhar? Conversa, inclusive, com o papel que Al Pacino faz em O Último Ato – também um ator decadente, tentando voltar à ativa e reencontrar sua identidade perdida na fama e no dinheiro. Interessante coincidência…

Michael Keaton, o ex-Batman, está espetacular como ex-homem pássaro que luta para encontrar um lugar no teatro de Broadway e se refazer da depressão e da bancarrota. Recebeu indicação para melhor ator, Emma Stone para melhor atriz coadjuvante, Edward Norton para melhor ator coadjuvante e o filme para a categoria de melhor elenco. Vale dizer que o filme é do diretor mexicano Alejandro González Iñárritu, brilhante também em Amores Brutos, 21 Gramas, Babel e Biutiful. Sempre forte, dramático, contundente.

BOYHOODOutro indicado – que está em cartaz no Brasil e que considero um dos melhores filmes do ano pela originalidade e pelo realismo do olhar – é Boyhood – Da Infância à Juventude. Ethan Hawke é indicado como melhor ator coadjuvante; Patricia Arquette, melhor atriz coadjuvante e o filme concorre pelo prêmio do elenco todo. Merece, é maravilhoso.

teporiaTambém com três indicações está A Teoria de Tudo, que conta a vida do cientista britânico Stephen Hawking. O filme me levou às lágrimas por dois simples motivos: a história de vida espetacular desse homem e a atuação brilhante de Eddie Redmayne. Ele concorre a melhor ator, Felicity Jones, que faz sua esposa, a melhor atriz, e o elenco como todo também disputa nesta categoria. Para mim, o melhor ator é, de fato e de direito, Eddie Redmayne. Tive certeza que estava vendo o próprio cientista na telona, neste papel dificílimo e muito emocionante.


fotoO Jogo da Imitação
concorre em três categorias e ainda vou conferir. Mas Keira Knightley é indicada para melhor atriz coadjuvante, Benedict Cumberbatch, melhor ator, e todo o elenco também está concorrendo pelo prêmio, com os filmes acima.

 

Outros indicados são:

Foxcatcher: Mark Ruffalo como melhor ator coajuvante e Steve Carell, melhor ator (estreia 22/01)

O Juiz: Robert Duval como melhor ator coadjuvante

Caminhos da Floresta: Meryl Streep como melhor atriz (estreia 29/01/15)

O Abutre: Jake Gyllenhaal como melhor ator (estreia 18/12)

Ainda Alice: Julianne Moore como melhor atriz

Garota Exemplar: Rosamund Pike, melhor atriz (em cartaz)

Livre: Reese Witherspoon, melhor atriz (estreia em janeiro)

O Grande Hotel Budapeste: melhor elenco (já em home video)

Whiplash – Em Busca da Perfeição: J.K. Simmons, melhor ator coadjuvante (estreia 08/01/15)

MÚSICA & CINEMA: O CASAMENTO DO SÉCULO?

Publicado em

Claro que vou conferir e volto com minhas impressões. Enquanto isso, se quiser checar a programação paralela à exposição, veja no NO SITE DO DO SESC.

PROGRAME-SE:

QUANDO: 20/09 a 11/01/2015; de  terça a sexta; das 10h30 às 21h30; sábados das 10h30 às 21h, domingos e feriados das 10h30 às 18h30

ONDE: SESC Pinheiros | Rua Paes Leme , 195

QUANTO: não paga NADA!

DO SESC

O SAL DA TERRA – Le Sel de la Terre

Publicado em

Sebastião Salgado abre o Festival do Rio 2014. Isso mesmo, com um documentário sobre seus 40 anos de vida como fotógrafo, pela lente de seu filho Juliano Ribeiro Salgado e do renomado cineasta alemão Wim Wenders, também do espetacular Pina. O filme levou o prêmio especial da categoria de Cannes que eu mais gosto, Un Certain Regard. Grande expectativa, tanto para a obra, quanto para a maneira de fotografar e enxergar o meio ambiente e o ser humano.